sábado, 27 de outubro de 2007

Pelos campos alentejanos

A chuva demora a vir, o ar da manhã corta e a tarde queima, num estranho Outono que inquieta. Ainda há espelhos de água na paisagem, e há flores que teimam... Debaixo dos sobreiros, chão juncado de bolotas, a paz dos rebanhos... E o verde da terra a renascer? Ainda tão hesitante!... E aproveitam-se os caminhos firmes, os dias claros, percursos de descobertas, momentos de osmose, a tranquilidade dos dias.

Nenhum comentário: