segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Sabores de Verão I

Sopa de beldroegas


Apesar de também serem cultivadas, as beldroegas são essencialmente plantas bravias que proliferam por todo o lado, sobretudo nas hortas, onde infestam as culturas de Verão. Lembro-me de as ver junto dos pegos e das albufeiras e nas valetas onde caía a água da rega do milho ou da forragem. Por isso, era uma das ervas a que se recorria para fazer as sopas tradicionais.

A composição da sopa de beldroegas variava, de acordo com as possibilidades de cada um, como refere Aníbal Falcato Alves no livro ”Os Comeres dos Ganhões”: a sopa que leva o queijo e a sopa pobre, esta só condimentada com as batatas ou com os ovos escalfados.
No livro de recolha de receitas de Mértola, “Aromas e Sabores”, aos ingredientes habituais (as beldroegas, os alhos, o azeite e o pão), acrescentam-se a salsa, o tomate e a cebola. Em Viana do Alentejo, pude apreciar estas sopas acompanhadas com queijo fresco e com bacalhau.


Por estes lados, a sopa de beldroegas é cozinhada da seguinte forma: estufam-se em azeite as folhas de um molho de beldroegas, acrescentam-se as cabeças de alho inteiras e um queijo de ovelha curado cortado em quartos. Acrescenta-se a água para o caldo, juntam-se algumas rodelas de batata e, algum tempo depois, escalfam-se os ovos. Rectificam-se os temperos (gosto de incluir louro, pimenta acabada de moer e de exagerar no queijo) e deita-se o caldo sobre fatias de pão duro.

Nenhum comentário: