sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Em casa

Está frio e chove ininterruptamente. Fluirá a Terra? Certamente, mas a ansiar por sinais de renovação!
Esta noite, recuperaria algumas das fotos antigas (de flores e rios e árvores) mas um certo gato equilibrista derrubou o scanner, que para ali está arrumado a um canto, cheio de pecinhas soltas.
Assim, resta-me uma das janelas de Marvão!
O granito, a madeira, delicados bordados... recantos perfeitos que atenuam um pouco a crueza de outras imagens: as de uma Terra revolta, as da recorrente imperfeição das sociedades.

5 comentários:

Carlos Machado Acabado disse...

"As Andorinhas Não Têm Restaurante?"
Ah! Pois não!
Mas também... "Os Cães Não Derrubam Scanners"!...
É claro que, por causa deles [e delas...] certos donos poupam que se fartam na água do duche [embora andem sempre meio constipados...] mas "scanners" juro que não derrubam!...
A minha Amiga "Ezul" acaba de [a meias com o Alexandre O'Neill...] fornecer-me com este seu inspirado 'post' o título ideal do... meu próximo livro de poemas: "Os Cães Não Derrubam Scanners"...
Com ele, vou-me, desde já, candidatar ao próximo 'Pessoa'...

[A propósito: e as pessoas? O que derrubarão elas além de muros e um ou outro governozito de vez em quando?...
As suas próprias esperanças e ilusões, quando calha?...]

CarlaSofia disse...

O tempo começa a pesar... falta um raio de Sol para animar.
Já não vou a Marvão há tanto tempo!
E também não poderia deixar de comentar a sugestão de leitura, adorei ler «À procura de Sana», li num dia de verão muito quente, adoro Richard Zimler, para mim o melhor é «O Último Cabalista de Lisboa».
Deixo um beijinho e votos de bom fim de semana :)
~universosquestionáveis~

Ezul disse...

Que maravilha! Agora já não vou reclamar apenas à minha amiga Maria José a publicação de mais um livro; vou dividir a “cobrança”, pois adoro ir ao lançamento dos livros dos amigos (e lê-los, naturalmente!).
Esses títulos também me inspiram: uma vez que já estive em Praga, na famosa igreja do Menino Jesus, já posso fazer como um célebre autor de livros de auto-ajuda. Assim (e sempre gostaria de saber se não é um título sugestivo), perspectiva-se o nascimento da grande e extraordinária obra: “Aprenda com a sabedoria felina – Como conciliar o espírito de liberdade com a sedução dos afectos”. Até aposto que havia muito boa gente a comprar… :)
O que derrubam as pessoas? Ora derrubam, ora constroem – e os dois actos também são simultâneos. Derrubam um muro (Berlim) - constroem a esperança; constroem outro muro (Gaza, Cisjordânia) - derrubam a dignidade humana! Por isto se vê que nada aprenderam e que não são bons arquitectos. Erro do Professor, não lhes devia ter dado o diploma!
:)

Ezul disse...

“ O Último Cabalista de Lisboa” e “A Sétima Porta”, para mim, ainda que considere excelentes todas as suas obras. Considero que Richard Zimler é uma daquelas pessoas com H Maiúsculo, que ainda nos fazem acreditar que o humanismo e a dignidade não desapareceram. “À procura de Sana” foi a proposta escolhida para este mês (depois da leitura de “Samarcanda”) e proporcionará, decerto, uma interessante reflexão sobre as relações entre Israel e a Palestina e a forma como os actos de uns quantos atingem os inocentes em qualquer um dos lados. Um Domingo cheio de Sol !
:)

Sofá Amarelo disse...

Experimenta fotografar as fotografias antigas... evitando os reflexos. Prefiro fotografá-las que scaná-las!

Ai, esse gato, heheheh!!! Não é alentejano, pelos vistos!!!

Muitos beijinhos. Um bom Domingo!!!